Foi organizado pelos professores Marcelo Maia Costa e André Salustiano Bispo o Curso básico sobre técnicas de segurança no Rapel com Corpo de Bombeiro Militar de Manhuaçu – MG. Os responsáveis técnicos que inistraram as instruções gerais foram o 2º Tenente BM Flávio Augusto Pires da Mota; 2º Sargento BM Eduardo Dias dos Santos; 3º Sargento BM Gilberto de Oliveira Gomes; 3º Sargento BM Maiquel Guilherme Vieira; Soldado BM Jean Carlos de Oliveira e Soldado BM Ruimar de Paula Costa. O curso foi de caráter extremamente prático, uma vez que os futuros profissionais de educação física, além da formação para lidar com as mais variadas áreas de atuação, também são responsáveis pela segurança das pessoas as quais estes prestam serviço. Os instrutores realizaram uma abordagem geral teórica inicial, com proposito de apresentação e familiarização de todos os equipamentos por eles utilizados em diferentes situações de salvamento, em seguida foram organizados os equipamentos na cúpula da instituição para início das práticas.

As técnicas do Rapel inventadas em 1879 por Jean Charlet-Stranton e seus companheiros Prosper Payot e Frederic Folliguet durante a conquista do Petit Dru, um paredão de rocha coberta de gelo e neve, perto de Chamonix, na França. Estão são utilizadas atualmente pelo corpo de bombeiros e forças armadas para resgates, ações táticas e explorações, por ser a forma mais rápida de descer algum obstáculo. No Brasil, o rapel apareceu a pouco tempo com os primeiros espeleólogos, pessoas que exploram cavidades naturais, tais como a formação das grutas, cavernas, fontes e águas subterrâneas. Somente nos últimos anos ele tem sido visto como esporte. Os rapeleiros, como são chamados os praticantes, descem grutas, cachoeiras e até prédios utilizando um material que garante a segurança e o sucesso da descida. Durante o trajeto, é possível realizar algumas manobras na cadeirinha, como balançar e até ficar de cabeça para baixo (NEYSE et al., 2014).

O curso contemplou acadêmicos do 8º e 6º períodos dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Educação Física, sendo que para os acadêmicos do Bacharelado (8º Período) o curso também foi um momento de complementação da disciplina de Esportes de Natureza e Aventura, disciplina está ministrada pelo professor Marcelo Maia Costa, cujos objetivos são: Conhecer a importância dos esportes de natureza e aventura no contexto da Educação Física atual, bem como sua evolução da antiguidade até os dias de hoje; Conhecer as modalidades e metodologias para o processo de ensino-aprendizagem dos esportes de natureza e aventura; Apresentar os equipamentos de segurança necessários durante a realização dos procedimentos práticos e Mostrar a disciplina de esportes de natureza e aventura como importante ferramenta de trabalho para o profissional de educação física.

Este curso representa mais um diferencial da Faculdade Vértice – UNIVÉRTIX no que se refere à contextualização atual do ensino superior, além da capacitação para o futuro profissional de Educação Física. Tendo acesso ao que existe de mais atualizado em relação às diversas técnicas e procedimentos gerais para segurança, além de vivenciarem técnicas básicas para instrumentação básica do Rapel.

Foi organizado pelos professores Marcelo Maia Costa e André Salustiano Bispo o Curso básico sobre técnicas de segurança no Rapel com Corpo de Bombeiro Militar de Manhuaçu – MG. Os responsáveis técnicos que inistraram as instruções gerais foram o 2º Tenente BM Flávio Augusto Pires da Mota; 2º Sargento BM Eduardo Dias dos Santos; 3º Sargento BM Gilberto de Oliveira Gomes; 3º Sargento BM Maiquel Guilherme Vieira; Soldado BM Jean Carlos de Oliveira e Soldado BM Ruimar de Paula Costa. O curso foi de caráter extremamente prático, uma vez que os futuros profissionais de educação física, além da formação para lidar com as mais variadas áreas de atuação, também são responsáveis pela segurança das pessoas as quais estes prestam serviço. Os instrutores realizaram uma abordagem geral teórica inicial, com proposito de apresentação e familiarização de todos os equipamentos por eles utilizados em diferentes situações de salvamento, em seguida foram organizados os equipamentos na cúpula da instituição para início das práticas.

As técnicas do Rapel inventadas em 1879 por Jean Charlet-Stranton e seus companheiros Prosper Payot e Frederic Folliguet durante a conquista do Petit Dru, um paredão de rocha coberta de gelo e neve, perto de Chamonix, na França. Estão são utilizadas atualmente pelo corpo de bombeiros e forças armadas para resgates, ações táticas e explorações, por ser a forma mais rápida de descer algum obstáculo. No Brasil, o rapel apareceu a pouco tempo com os primeiros espeleólogos, pessoas que exploram cavidades naturais, tais como a formação das grutas, cavernas, fontes e águas subterrâneas. Somente nos últimos anos ele tem sido visto como esporte. Os rapeleiros, como são chamados os praticantes, descem grutas, cachoeiras e até prédios utilizando um material que garante a segurança e o sucesso da descida. Durante o trajeto, é possível realizar algumas manobras na cadeirinha, como balançar e até ficar de cabeça para baixo (NEYSE et al., 2014).

O curso contemplou acadêmicos do 8º e 6º períodos dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Educação Física, sendo que para os acadêmicos do Bacharelado (8º Período) o curso também foi um momento de complementação da disciplina de Esportes de Natureza e Aventura, disciplina está ministrada pelo professor Marcelo Maia Costa, cujos objetivos são: Conhecer a importância dos esportes de natureza e aventura no contexto da Educação Física atual, bem como sua evolução da antiguidade até os dias de hoje; Conhecer as modalidades e metodologias para o processo de ensino-aprendizagem dos esportes de natureza e aventura; Apresentar os equipamentos de segurança necessários durante a realização dos procedimentos práticos e Mostrar a disciplina de esportes de natureza e aventura como importante ferramenta de trabalho para o profissional de educação física.

Este curso representa mais um diferencial da Faculdade Vértice – UNIVÉRTIX no que se refere à contextualização atual do ensino superior, além da capacitação para o futuro profissional de Educação Física. Tendo acesso ao que existe de mais atualizado em relação às diversas técnicas e procedimentos gerais para segurança, além de vivenciarem técnicas básicas para instrumentação básica do Rapel.